segunda-feira, 18 de junho de 2018

São Paulo melhora com Diego Aguirre

Diego Aguirre deu identidade ao São Paulo e fez o time voltar a ser competitivo. Sob o comando do técnico uruguaio, apesar das eliminações no Campeonato Paulista e na Copa do Brasil, o retrospecto é positivo.
São 20 jogos, com nove vitórias, sete empates e apenas quatro derrotas (duas no Campeonato Paulista, uma na Copa do Brasil e uma no Campeonato Brasileiro). O aproveitamento é de 56,6%.
O São Paulo empata muito com Aguirre e não tem bom desempenho fora de casa (com apenas duas vitórias), mas o desempenho no Morumbi compensa: sete vitórias e três empates, 80% de aproveitamento.
No geral, o Tricolor Paulista melhorou com o treinador uruguaio. Se o começo de trabalho foi complicado por conta das eliminações, o momento que passa o clube é o melhor dos últimos tempos: o time está na briga pela liderança do Campeonato Brasileiro e conseguiu a classificação para a segunda fase da Copa Sul-Americana.
Veja abaixo o que melhorou com Diego Aguirre:

Defesa sólida

O setor defensivo do São Paulo tem sofrido alterações em quase todos os jogos, mas não perde a segurança. Seja qual for a dupla titular, o bom nível de atuação é mantido.

Ataque efetivo

Nenê (autor de dez gols) e Diego Souza (autor de oito gols) cresceram muito juntos sob o comando de Aguirre. Só que a chegada de Everton (autor de três gols) também foi primordial para essa evolução. O trio, por sinal, teve participação em 16 dos 18 gols do Tricolor Paulista no Campeonato Brasileiro.

Mudança de comportamento

O elenco está mais unido desde a chegada de Aguirre. O técnico tem fama de conversar diretamente com os jogadores sobre os problemas. Foi assim no episódio em que Diego Souza quase trocou o São Paulo pelo Vasco. Essa postura tem sido valorizada pelos jogadores.

Postura em clássicos

Apesar da eliminação para o Corinthians no estadual, nos pênaltis, e da derrota de virada para o Palmeiras, no Campeonato Brasileiro, o São Paulo com Aguirre tem outra postura diante dos rivais. Joga mais ligado e vende caro as derrotas.

Time aguerrido

Principalmente nos jogos fora de casa, o São Paulo tem sido um adversário difícil de ser vencido. Normalmente com uma postura mais defensiva, o time tem conseguido conquistar pontos importantes como visitante – foi assim nas partidas contra América-MG e Atlético-PR.

quinta-feira, 14 de junho de 2018

São Paulo é o primeiro clube a somar 1000 pontos no Campeonato Brasileiro de pontos corridos

 A vitória por 3 a 0 sobre o Vitória, na última terça-feira, no Morumbi, em partida válida pela 12ª rodada do Campeonato Brasileiro, fez o São Paulo atingir à expressiva marca de 1000 pontos na era dos pontos corridos.
O Tricolor Paulista, que conseguiu o tricampeonato após as conquistas em 2006, 2007 e 2008, sob o comando técnico de Muricy Ramalho, é o primeiro time a atingir essa pontuação.

Veja abaixo os times que estão mais próximos:

São Paulo - 1000 pontos
Cruzeiro - 959 pontos
Santos - 932 pontos
Corinthians - 900 pontos
Flamengo - 874 pontos
Internacional - 869 pontos
A história desses 1000 pontos do clube na era dos pontos corridos, que começou em 2003, tem 602 jogos, com 282 vitórias, 154 empates e 166 derrotas, aproveitamento de 55,37%.

sexta-feira, 27 de abril de 2018


NOTA

Informamos que o blog ficará sem receber atualizações pelos próximos dias e por todo o mês de maio. Motivo: seu administrador estará de férias. Queremos abraçar, de modo especial, você torcedor são-paulino e torcermos para que o São Paulo mude e nos apresente um bom futebol no restante de 2018 e que faça por onde enaltecer ainda mais a história desse clube.
FIFA anuncia banimento de Marco Polo del Nero do futebol para sempre

O ex-presidente da CBF Marco Polo del Nero foi banido de forma definitiva de atividades relacionadas ao futebol. A FIFA anunciou nesta sexta-feira que o Comitê de Ética da entidade decidiu impedir para sempre que o dirigente possa exercer qualquer função no esporte - justamente após o fim de duas suspensões, uma de 90 e outra de 45 dias ao brasileiro.
O banimento é exatamente a mesma punição recebida pelo antecessor de Del Nero, José Maria Marín. Além de estar impedido de desenvolver qualquer função ligada ao futebol, Marco Polo terá que pagar uma multa de 1 milhão de francos suíços (R$ 3,5 milhões).
A defesa de Del Nero informou que vai recorrer da decisão anunciada hoje pela FIFA. O banimento de Del Nero ocorre pouco mais de uma semana depois de Rogério Caboclo ter sido eleito o próximo presidente da CBF - tendo sido candidato único e contando com o apoio de Marco Polo. Até Caboclo assumir, em abril de 2019, a entidade continuará sendo regida pelo Coronel Nunes.
Eleito presidente da CBF em 2014, sucedendo José Maria Marín, Marco Polo del Nero tornou-se alvo de investigações do FBI em 2015, suspeito de envolvimento em esquemas de corrupção - e desde então não deixou mais o Brasil, onde não é acusado de nenhum crime. Naquele ano, foi indiciado pelo departamento de Justiça dos EUA por sete crimes (três de fraude, três de lavagem de dinheiro e um por integrar uma organização criminosa). Logo depois, o Comitê de Ética da FIFA abriu uma investigação interna, que demorou a avançar.
Entretanto, a partir do julgamento de Marín em um tribunal de Nova York, em dezembro do ano passado, o caso andou. Del Nero foi citado em diversos depoimentos, planilhas, gravações e outros documentos - que foram tornados públicos pela investigação norte-americana. Os promotores afirmaram que Del Nero recebeu US$ 6,5 milhões em subornos para beneficiar empresas de marketing esportivo em contratos relacionados a Copa América, Taça Libertadores e Copa do Brasil. E a Fifa reabriu a investigação sobre o ex-presidente da CBF.
No fim do ano passado, a entidade máxima do futebol mundial decidiu suspender Del Nero por 90 dias, fazendo com que o vice-presidente Antônio Carlos Nunes de Lima, Coronel Nunes, assumisse a presidência da CBF interinamente. Esta suspensão foi estendida, como esperado, por 45 dias - em um prazo que se encerrou justamente nesta sexta-feira.

quinta-feira, 26 de abril de 2018

São Paulo cria nova comissão para analisar separação entre futebol e clube social

Numa reunião realizada na noite de segunda-feira, o Conselho de Administração do São Paulo decidiu criar mais uma comissão para analisar o projeto que prevê a separação entre futebol e clube social.
O chefe dessa nova comissão será o oposicionista José Eduardo Mesquita Pimenta – que foi o candidato derrotado por Carlos Augusto Barros e Silva, o Leco, na última eleição para presidente do clube.
O parecer de Leco foi favorável. Mas o Conselho de Administração entende que o projeto precisa de aprimoramentos antes de seguir para os Conselhos Consultivo e Deliberativo.
– Vou criar uma comissão com o menor número possível de pessoas, para que o processo não demore muito – disse Eduardo Mesquita Pimenta.
O projeto que recomenda ao São Paulo separar o futebol do clube social ainda precisa passar por uma longa tramitação até sair do papel.
Entenda melhor o processo que pode transformar o futebol do São Paulo em empresa:

Em curso, o processo de separação do futebol do São Paulo das demais atividades do clube pode durar até março de 2019. É que, além da recomendação da dupla nomeada para estudá-lo, ele terá de ser aprovado por três conselhos diferentes e pela maioria de associados numa assembleia.
O primeiro passo, dado na semana passada pelo presidente Carlos Augusto de Barros e Silva, foi a nomeação do conselheiro José Francisco Manssur e do sócio Rodrigo Rocha Monteiro de Castro para elaborar um estudo sobre essa separação. Os dois, que são voluntários e não têm qualquer remuneração pelo serviço, têm até maio de 2018 para entregar o material.
Uma das grandes questões do processo é determinar com quem ficariam ativos como, por exemplo, o estádio do Morumbi e os centros de treinamento de Cotia e da Barra Funda, uma vez que eles estão diretamente ligados ao futebol.
O novo estatuto, que também será adaptado caso a separação seja aprovada, exige que qualquer sociedade empresária constituída para gerir o futebol tenha o próprio São Paulo sempre como sócio majoritário, com maioria de votos e poder de eleger a maioria dos administradores.
Avaliar a possibilidade de separar o futebol das outras áreas do São Paulo é uma determinação do novo documento que rege o clube, aprovado no fim do ano passado.
Se todos os prazos forem esticados aos seus limites, o início prático da separação do futebol do São Paulo do restante do clube se daria em março de 2019.
Nas próximas semanas, o Conselho de Administração, órgão que auxilia na gestão do clube, terá de nomear um Comitê Especial, composto por três pessoas que não façam parte da diretoria, para acompanhar os estudos de Manssur e Castro e elaborar relatórios mensais sobre eles.
Os autores dos estudos têm experiência na área. Agora, eles colocarão em prática todo o material teórico na prática ao avaliar se a separação será benéfica ou não ao São Paulo.

quarta-feira, 25 de abril de 2018

Arboleda: de desconhecido a titular absoluto. Veja por que

A prorrogação do contrato de Arboleda até junho de 2022 confirma a boa fase do zagueiro. Apesar de o São Paulo não viver um bom momento (são duas eliminações em quatro meses – Campeonato Paulista e Copa do Brasil), o atleta equatoriano se firmou como um dos principais jogadores do setor.
Os números de Arboleda pelo clube são a prova disso. Desde que estreou, diante do Santos, em julho do ano passado, ele nunca foi substituído. Para ficar mais claro: todas as vezes que foi escalado, entrou em campo como titular e permaneceu até o final da partida.
Antes de se tornar titular absoluto, porém, Arboleda chegou como mero desconhecido dos brasileiros, após sua chegada ao país do modesto Universidad Católica de Quito, do Equador. Vale ressaltar que, em seu país natal, o zagueiro já era reconhecido e convocado para a seleção equatoriana.
No São Paulo, Arboleda nunca saiu do banco para entrar em campo. Quando ficou nessa condição, o zagueiro permaneceu na reserva até o fim.
Veja abaixo, os números de Arboleda pelo São Paulo FC:

2017: 23 jogos – 2070 minutos (sem acréscimos) – três gols.
2018: 14 jogos - 1260 minutos (sem acréscimos) – um gol.

No ano passado, Arboleda perdeu apenas quatro jogos. E neste ano, depois de se apresentar ao clube com um problema muscular no começo do ano, demorou a ficar à disposição. Perdeu ao todo 11 partidas, contando algumas em que foi poupado. Chamado de "Arbolenda" pela torcida, ele disse:
– Gosto do apelido (risos). Este carinho é sinônimo de felicidade, porque trabalho todos os dias para ajudar os meus companheiros – declarou ao site oficial do clube.
Sobre a prorrogação do contrato, Arboleda falou:
– Cheguei com a mentalidade de trabalhar forte para conquistar títulos, e não mudarei isso. Não é porque assinei um novo contrato que vou relaxar. Vou me esforçar ainda mais para levar o São Paulo onde merece, que é no topo da tabela e na briga por troféus.
Poupado do primeiro jogo do Campeonato Brasileiro, diante do Paraná, no Morumbi, Arboleda foi titular contra o Ceará, na segunda rodada, e será novamente diante do Fluminense, domingo, pela terceira rodada da competição.
São Paulo prorroga contrato de Arboleda

A diretoria do São Paulo prorrogou o contrato de Arboleda até junho de 2022. O acerto, anunciado na terça-feira, prevê um ano a mais ao zagueiro equatoriano em relação ao primeiro acordo.
– Estou muito contente com esta renovação com o São Paulo, principalmente pelo apoio que recebo da torcida. Também agradeço a confiança da diretoria. Seguirei com o trabalho firme, nos treinos e nos jogos, para conquistar títulos pelo clube – disse o zagueiro ao site oficial do clube.
Arboleda foi contratado pelo Tricolor Paulista na temporada passada e se firmou como titular absoluto da zaga são-paulina. Atualmente, ele veste a camisa 5, após ter solicitado usar o número depois da aposentadoria de Lugano.
– Cheguei como um desconhecido, mas agora conto com o reconhecimento de todos. Fui bem acolhido, sou feliz no São Paulo e quero retribuir este carinho com títulos – falou o equatoriano.
O São Paulo volta a campo pelo Campeonato Brasileiro domingo, às 16h, diante do Fluminense, no Rio de Janeiro. Passadas duas rodadas da competição nacional, o Tricolor Paulista soma quatro pontos, com uma vitória (sobre o Paraná) e um empate (contra o Ceará).